BLOG

Luis Gustavo Morato Leite

Mau hálito pode ter a prótese dentária como causa.

halitose mau hálito e prótese dentária post blog

O mau hálito causado por prótese dentária é um problema comum e despercebido pela maioria dos indivíduos atingidos pelo problema. Conheça as causas e tratamentos da halitose associado à prótese fixa sobre dentes e implante dentário, dentadura e ponte móvel.

 

 por Luís Gustavo Leite, dentista graduado e especializado em próteses dentárias pela UFRGS, em Porto Alegre.

 

 

Halitose, um problema que vai muito além do constrangimento.

 

Odores desagradáveis emitidos a partir da cavidade bucal ou da respiração são características da halitose, uma condição desagradável motivo para situações constrangedoras que, na maioira das vezes, não é percebida pelo indivíduo acometido pelo problema.

 

Ao contrário do que se imagina, menos de 5% dos casos de mau hálito tem como origem problemas estomacais, motivo pelo qual a consulta ao dentista é essencial para o diagnóstico preciso da condição. O exame das gengivas e mucosas, associados a exames ambulatoriais do fluxo salivar e carga baceriana, aliados à análise da dieta do paciente, são suficientes para descartar a origem respitatória da halitose.

 

Outras causas para a halitose são a diabetes melitus e cirrose hepática ou, em alguns casos, dispositivos com restaurações dentárias e próteses dentárias fixas ou do tipo móvel, estas últimas pouco lembradas por dentistas e pacientes como fonte para os odores desagradáveis provenientes da cavidade bucal. E que tal conhecer um pouco mais sobre o diagnóstico e tratamento desta condição tão desagradável?

 

mau hálito gengivas
Doenças gengivais e acúmulo de placa bacteriana são causas comum para o mau hálito.

 

 

O mau hálito causado por prótese dentária fixa em porcelana.

 

O mau hálito causado por prótese dentária fixa em porcelana representa uma parcela diminuta dos problemas de odores desagradáveis originados na cavidade bucal. Quando este dispositivo é a causa, falhas na adaptação junto a dentes e gengivas, fatores que dificultam a remoção de placa bacteriana e ainda facilitam a retenção de alimentos, podem exigir desde o uso de instrumentos especiais para higienização ou até mesmo a remoção do dispositivo.

 

Uma outra forma bastante comum de prótese dentária fixa como causa para o mau hálito são os dispositivos instalados em áreas com perdas ósseas (extração dentária) ou em regiões com espaços entre dentes – ou simplesmente com design inapropriado. O tratamento, nestes casos, exige a adoção de técnicas e instrumentos especiais de higiene dentária, ações que também podem ser necessárias junto a implantes dentários que servem de suporte a coroas dentárias fixas em porcelana

 

halitose e prótese dentária
Prótese dentárias defeituosas podem atuar como fatores para a retenção de placa baceriana e instalação de doenças gengivais.

 

 

Sangramento gengival em dente com prótese dentária fixa.

 

O acúmulo de placa bacteriana junto a próteses dentárias fixas em porcelana, seja nas bordas dentárias em excesso ou em cavidades, frequentemente está associado à gengivite e periodontite, infecções das gengivas que causam mau hálito na maioria das vezes. Os sinais mais comuns destas condições inflamatórias são vistas como gengivas inchadas e o sangramento gengival, situações que podem levar à retração gengival e até mesmo a perdas dentárias.

 

 

A prótese dentária móvel e o mau cheiro generalizado.

 

O mau cheiro proveniente de prótese dentária removível ocorre com ainda mais frequência do que na técnica fixa em porcelana. Isto porque, em dentaduras e pontes móveis, a resina utilizada nas partes que simulam dentes e gengivas, como o passar do tempo, retém bactérias no interior do material e unido junto às superfícies – na forma de tártaro ou placa bacteriana. O problema, que pode ocorrer até mesmo em dispositivos móveis novos, pode ser parcialmente eliminado através da limpeza diária e cuidado das partes em resina.

 

A prótese dentária tipo protocolo, também conhecida como dentadura fixa, confeccionada em porcelana é uma alternativa eficiente para eliminar ou diminuir o mau cheiro proveniente das resinas dentárias utilizadas em dispositivos tradicionais. Apoiada sobre implantes dentários, também traz resultados estéticos e mastigatórios superiores às demais versões disponíveis.

 

protese dentaria removivel e halitose
As partes em resina acrílica de próteses dentárias removíveis como dentaduras e pontes (foto) retém bactérias e depósitos bacterianos causadores de mau hálito.

 

 

Alergia à prótese dentária em mulheres também pode causar mau hálito.

 

O dado é alarmante: quase vinte por cento das mulheres são alérgicas aos metais utilizados em próteses dentárias fixas em porcelana. Técnica proibida em diversos países europeus e norte americanos, na maioria das vezes o paciente atingido pelo problema não sabe que a parte interna do dispositivo protético instalado sobre seus dentes contém substâncias metálicas que provocam alergias inflamatórias.

 

Os sintomais mais comuns deste problema aparecem como gengivas permanentemente inchadas e que sangram ao escovar – em casos mais severos o sangramento é espontâneo -, uma causa para o mau hálito associado a prótese dentária fixa. O tratamento exige a remoção do dispositivo protético, confecção de próteses provisórias para a remissão do processo inflamatório e instalação de dispositivos livres de metal.

 

 A prótese dentária fixa em zircônia, uma alternativa aos dispositivos com infraestrutura interna confeccionada com ligas metálicas, pode não reverter o quadro alérgico inflamatório. Nestes casos, outras técnicas com próteses dentárias em porcelana pura ou materiais resinosos precisam ser considerados como opções mais efetivas para lidar com o mau hálito.

 

 

Mau hálito proveniente de implante dentário.

 

A adaptação de implantes dentários junto a gengivas é um desafio à técnica. Enxertos de gengiva ou osso e uso de próteses dentárias provisórias são recursos frequentemente utilizados pelo dentista especializado para recuperar a arquitetura dos tecidos gengivais que, quando realizados de forma inapropriada,  facilitam o acúmulo de alimentos e formação de mau hálito.

 

O acúmulo de placa bacteriana junto a implantes dentários é um risco para o aparecimento da periodontite, uma infecção das estruturas ósseas e gengivais de suporte de dispositivos implantodônticos que tem como características o inchaço e sangramento das gengivas, além da supuração. O tratamento, que varia conforme a severidade do problema, pode ir desde uma simples curetagem das margens gengivais até procedimentos cirúrgicos para debridamento e enxertia óssea.

 

O tratamento do mau hálito associado a implante dentário pode também envolver a substituição da prótese dentária fixa instalada sobre o dispositivo. O objetivo do procedimento é confeccionar novos dispositicos protéticos com design menos propenso ao acúmulo de restos alimentares e placa bacteriana, e com formato que facilite a higienização diária do local.

 

 

Como limpar a prótese dentária móvel.

 

Dispositivos protéticos móveis como dentaduras e prótese dentária removível com partes em resina acrílica exigem cuidados especiais de limpeza para evitar o mal cheiro originado destes materiais. Para manter sempre limpos de restos alimentares e depósitivos bacterianso, aprenda a limpar a sua prótese dentária móvel para manter a cavidade oral livre do mau hálito.

 

utilize escovas dentárias com cerdas rígidas e pasta de dente – escove cuidadosamente todas as partes do dispositivo;

 

a limpeza é diária e deve ser feita após cada refeição – e não apenas ao dormir;

 

ao dormir, remova dentaduras e pontes móveis, deixando-as submersas em água;

 

pastilhas especiais para limpeza e desinfecção estão disponíveis em farmácias para uma limpeza mais efetiva da prótese dentária removível;

 

consulte o seu dentista ao menos uma vez por ano para examinar gengivas e dentes em contato com estes dispositivos;

 

 

dentaduras fixas do tipo protocolo, que só podem ser removidas pelo dentista, exigem consulta semestral para remoção e limpeza do dispositivo em cubas ultrassônicas submerdas em enzimas detergentes.

 

Ainda em dúvida? Consulte as informações sobre halitose.

Saiba mais com estes postos relacionados:

Voltar para o blog